Tel: (+258) 21321838 / (+258) 843008126 | Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Saneamento básico é a actividade relacionada ao abastecimento de água potável, o manuseio de águas pluviais, a colecta e tratamento de esgotos, a limpeza urbana, o manuseio de resíduos sólidos e o controle de pragas e qualquer tipo de agente patogénico, visando à saúde das comunidades.

É também o conjunto de procedimentos adoptados numa determinada região visando proporcionar uma situação higiénica saudável para os habitantes.

A AIAS tem em suas atribuições o provimento de saneamento nas vilas, pequenas e grandes cidades contribuindo para o desenvolvimento do País elevando a qualidade de vida das populações.

 

 

Projecto Cidades e Mudanças Climáticas

O Governo de Moçambique recebeu um crédito da Associação Internacional para o Desenvolvimento (IDA) de 120 milhões de dólares norte-americanos (USD), para a implementação do “Projecto Cidades e Mudanças Climáticas” com objectivo de reduzir os riscos e vulnerabilidades associados aos impactos relacionados ao clima nas cidades de Maputo, Beira e Nacala. O projecto esta dividido em duas componentes nomeadamente:

Componente 1 – Capacitação do Sector Municipal; e

Componente 2 – Aumento da Resiliência às Alterações Climáticas. 

A Administração de Infra-estruturas de Água e Saneamento (AIAS), é responsável pela implementação da Componente 2 do projecto.

Com vista a fortalecer a capacidade Municipal para a provisão sustentável de infra-estrutura urbana e a gestão ambiental, o que aumenta a resiliência aos riscos relacionados ao clima estão previstas ao abrigo deste projecto as seguintes obras:

  • Reabilitação do Sistema de Drenagem do Rio Chiveve;
  • Reabilitação de Infra-estruturas de Drenagem de Águas Pluviais da Cidade de Maputo;
  • Reabilitação do Sistema de Drenagem de Águas Pluviais da Cidade da Beira; e
  • Projecto de Infra-estruturas Verdes na Cidade da Beira.

  

Projecto de Recuperação Resiliente de Emergência das Infraestruturas afectadas pelo Cyclone IDAI e Kenneth (CERRP; P171040). O Projecto é constituído por quatro (4) Componentes nomeadamente: (I) a componente 1 - Reconstrução Resiliente de Habitação e Infraestruturas Públicas (IDA de US $ 50 milhões), cuja as actividades a serem financiadas sob esta componente incluem (1) a reparação e reconstrução de moradias das comunidades vulneráveis seleccionadas; (2) a reparação e reconstrução de infra-estruturas públicas chave (i.e. mercados, edifícios governamentais, infraestruturas públicas de água e saneamento, etc.) e construção de locais de evacuação de cheias multifuncionais e abrigos para evento de ciclone; e (3) assistência técnica para permitir que o GdM e as comunidades afectadas apliquem os princípios do Building Back Better (BBB) na fase de reconstrução; (II) componente 2 - Recuperação do Sector Privado (IDA de US $ 10 milhões), que fornecerá linhas de crédito baratas para instituições financeiras, que serão traduzidas em produtos financeiros acessíveis para pequenas, médias e grandes empresas para auxiliar na fase de recuperação; (III) componente 3 - Construindo Resiliência Climática (US $ 60 milhões de IDA, mais US $ 60 milhões de co-financiamento), esta componente fortalecerá a resiliência da cidade da Beira aos futuros riscos climáticos, (i) reparando e fortalecendo significativamente a infra-estrutura de protecção costeira; e (ii) expandir o sistema de drenagem de águas pluviais para reduzir as inundações em partes vulneráveis da cidade; (IV) componente 4 - Apoio à Implementação do Projecto (US $ 10 milhões), que será implementado pela AIAS para o componente 3 e pelo recém-criado Gabinete de Reconstrução no âmbito do Ministério das Obras Públicas para o componente 1.

O Banco Mundial concordou em financiar o projecto e o Governo de Moçambique pretende implementar a Componente 3 do Projecto que inclui, o fortalecimento da resiliência da Cidade da Beira aos futuros riscos climáticos através da reabilitação do sistema de drenagem pluvial com vista a reduzir as inundações em partes vulneráveis da cidade e reabilitação da estrutura de protecção costeira, sob a liderança do Ministério das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (MOPARH), através da AIAS – Administração de Infraestruturas de Água e Saneamento.